RESPONSABILIDADE FINANCEIRA DE TER UM PET | COMO LIDAR?

0

Sábado, dia 02 de setembro, é dia de vacinação contra raiva!

A chegada de um novo membro da família em uma caixinha furadinha…

Parece que o nosso relógio biológico vai apertando o passo e se ainda não nos sentimos prontas, falta a coragem para decidir ter um bebê, ou um “pai” bacana, chegamos em casa com um presente numa caixinha furadinha. Em casa, o restante da família pode até esbravejar, mas em pouquíssimo tempo todos se apaixonam pela “tranqueirinha”, de patas, penas, bigodes ou escaminhas.

As histórias são as mais variadas, a gata de uma amiga teve filhotinhos, tinha uma feirinha de adoção perto de casa, a amiga de uma amiga resgatou uma cadelinha e precisa ser doada, tem ainda aquele danado que vem seguindo a gente na rua, ou na vitrine de um pet, quando nos vemos no brilho de seus olhinhos, já era. Temos a certeza de nascemos pra cuidar um do outro, e assim a família vai aumentando.

Sou totalmente apaixonada por meus pets, não tenho a menor dúvida de que são minha família. Mato e morro por eles (bem dramático mesmo) e por isso sei é preciso colocar na ponta do lápis o quanto vai custar cada serzinho que entra para a nossa família.

Mesmo que você adote um pet, e não tenha o custo inicial com a aquisição do novo parceirinho, você precisa ter ideia de quanto custará por mês, por ano, os cuidados com seu bichinho de estimação. Tem que ter ok? Ele precisa estar em seu orçamento mensal, assim como você tem o custo mensal do supermercado, com o gasto com transporte e sabe que a conta do IPVA do carro chega no início do ano.

Vamos pensar em três alternativas mais familiares:Um cãozinho, um gatinho ou uma calopsita.

Não se trata só de água e ração, é preciso pensar em outros custos: se estamos falando de um cãozinho, temos que pensar só para leva-lo pra casa haverão os custos com a coleira, caminha, um brinquedinho, ração de boa qualidade, potinhos para água e comida, tapetinhos higiênicos e uma visita ao veterinário para uma check-up. O veterinário provavelmente pedirá alguns exames e colocará vacinas e a vermifugação em dia e a partir daí, periodicamente.

Acho que para bichanos vale quase a mesma coisa. E mais a caixinha de areia.

Lembre-se de que neste caso, o custo de um animal costuma ser proporcional ao seu tamanho, quanto maior, maiores gastos.

Por outro lado, se engana quem pensa que ter um “passarinho” sai mais barato. Calopsitas por exemplo, são tidas como animais silvestres, e normalmente o veterinário que é especialista, além de mais difícil de encontrar, normalmente o preço da consulta é maior. Caso você opte por cria-los soltos em casa, eles precisam no mínimo de um “poleiro pra chamar de seu”. Eles são metódicos, tem horário, rotinas. Gostam de um cantinho definido para dormir. É bom ter uma  gaiola ou viveiro mesmo que fique aberta durante o tempo em que você estiver em casa, mas é bom ter pra que eles fiquem seguros na ausência de humanos. Eles são curiosos e roedores, podem bicar alguma coisa que não deve, se machucar, se envenenar ou até mesmo se queimar.

A cada bichinho que entrar na família, coloque em seu orçamento mensal os gastos financeiros que terá, assim como não deixe de colocar nas despesas anuais, gastos eventuais mais recorrentes como vacinas, visitas ao veterinário, troca da caminha, coleira, gaiola.

Lembrem-se da responsabilidade que é adotar um bichinho de estimação. Além das coisas que mencionamos, eles vão demandar, tempo, atenção e muito carinho. Eles não curtem ficar sozinhos o dia todo, mesmo o mais independente dos bichanos sente saudades.

Uma outra coisa importante! Se você viaja muito, ou ainda, se tem o habito de viajar nas férias, lembre-se que se o pet não pode ir junto, precisa ter quem cuide do amiguinho (ou amiguinhos), e isso também pode ter um custo financeiro.

Não tenho a menor dúvida de quanta alegria e amor tem os presentes nas caixinhas furadinhas.

Pra quem tem cachorros e gatos, vale lembrar, que esse final de semana tem vacinação contra raiva! Não deixe de levar seu “presentinho”. Vacinar é um ato de amor!

Meu nome é Paula Sauer, sou economista, planejadora financeira, mestre em finanças comportamentais e mãe de nove figurinhas de patas, penas e malcriação…

Se quiser conversar mais: Paula.sauer@economiadevalor.com.br

Para saber mais sobre meu trabalho https://www.linkedin.com/in/paulasauercfp/

Essa da foto é  Marilyn.

Até a próxima!

 

Share.

About Author

Paula Sauer

A Economista carioca, que trabalhou por 17 anos em uma instituição financeira, se apaixonou por psicologia econômica e não parou mais, lidar com o comportamento das pessoas em relação ao dinheiro para ela é muito mais do que falar de planilhas e juros, é falar de sonhos, medos e mudanças de hábitos. Louca por bichos, Paula que também á planejadora financeira não guarda o que estuda só para si, escreve em jornais, blogs e revistas de grande circulação no país e se realiza em sala de aula, onde aprende e se diverte muito com os alunos.

Deixe uma Resposta